12 de abril de 2024

“BEM VINDO AO OASIS, PARZIVAL” – JOGADOR NÚMERO 1

FICHA TÉCNICA:

Nome Original: Ready Player One
Nome no Brasil: Jogador número 1
Gênero: Ação / Aventura / Distópico / Ficção Científica
Ano: 2018
Duração: 2h 20 min
Direção: Steven Spielberg
Roteiro: Zak Penn / Ernest Cline
Elenco Principal: Tye Sheridan / Olivia Cooke /
Ben Mendelsohn / T. J. Miller / Simon Pegg / Mark Rylance
País de produção: Estados Unidos

RESENHA (SEM SPOILERS):

Baseado no livro “Jogador número 1” escrito por Ernest Cline,
o filme conta a história de Wade Watts, um jovem caçador de recompensas virtual
que procura pelas três chaves escondidas no OASIS,
que lhe garantirão dinheiro suficiente para mudar sua vida e de sua família.
O filme homenageia a cultura pop principalmente das décadas de 1980, 1990, 2000 e 2010.
Trazendo tantas referências dessas épocas que seria difícil citar todas neste post.
O filme é recheada de Easter eggs que vão além de personagens, veículos icônicos,
outros filmes, séries, jogos e inclui até músicas licenciadas das décadas de 1970 e 1980.
O filme tem um ritmo frenético e uma deliciosa busca por uma caça ao tesouro,
que lembra um certo filme de 1985 “Os Goonies”, só que futurista.
Jogador número 1 foi feito pra agradar a todos os públicos e faz isso com maestria.
Imperdível!!!

Texto realizado ao som de Bee Gees – Stayin’ Alive

NOTAS E CURIOSIDADES:

Spielberg procurou deixar a maior parte das referências
sobre a sua própria filmografia de fora da adaptação de Jogador Número 1.
As exceções são o T-Rex de Jurassic Park e o DeLorean usado por Parzival
(filme dirigido por Robert Zemeckis e produzido por Spielberg).

Publicado em 2011, Jogador Nº 1 é o primeiro livro de Ernest Clinee,
foi um sucesso mundial, publicado em 58 países e traduzido para 37 idiomas.
Para o autor, ter Spielberg dirigindo a adaptação do seu livro
é “mais do que um sonho realizado, não é nem um sonho que ousaria sonhar”.

O filme marca a terceira colaboração entre Spielberg e Mark Rylance (Anorak/Halliday),
que também trabalharam juntos em O Bom Gigante Amigo e Ponte dos Espiões,
(que rendeu para o ator um Oscar de Melhor Ator Coadjuvante).

Das referências presentes no roteiro original, somente 80% foram liberadas para o filme.

Foram 13 semanas de filmagem entre a captura de performance para o mundo virtual do OASIS
e as gravações em cenários externos.

Steven Spielberg revelou em entrevista que este foi um dos filmes mais difíceis que ele já fez,
atrás somente de Tubarão (1975) e O Resgate do Soldado Ryan (1998).

SFC – Onde quase todo dia é Sexta-feira!